UCITY

Utopias e Distopias

No rescaldo do 500º aniversário de ‘A Utopia’ de Thomas More, desafiamos todos/as os/as que queiram refletir sobre a cidade e os seus futuros potenciais. O pensamento utópico e distópico marcaram o debate, a crítica e a reflexão sobre a cidade ao longo dos séculos XIX e XX colocando a cidade no centro da concretização de uma ideia de futuro, progresso e de transformação social. Com esta transformação, o futuro da cidade passa a assumir uma responsabilidade simbólica, representativa em si mesma do futuro da Humanidade. O termo ‘utopia’ evoluiu desde a sua consideração como projeto coletivo até ao seu ressurgimento atual como instrumento de questionamento e/ou um espaço de diálogo onde a partir de sociedades existentes, de múltiplas narrativas e de lugares reais se procuram nexos entre o que é possível, desejável e como podemos encontrar horizontes, valorizando simultaneamente a diversidade e a individualidade dos vários povos e culturas, quotidianos e formas de vida urbana. Assim, qual é a importância da cidade real, da cidade imaginada e da cidade ideal na contemporaneidade e quais os significados que atribuimos hoje aos termos ‘utopia’ e ‘distopia’? Convidamos assim a pensar em torno de cinco eixos principais:

 

  • Utopias, Distopias e Heterotopias: a cidade existente e a cidade projetada
  • Utopias Concretizadas: visões em construção
  • Cidades imaginárias: a cidade representada nas artes
  • Cidades múltiplas: a cidade nos mídia e nas redes sociais
  • Cidades Virtuais: dos jogos às aplicações
Advertisements